BEM-ESTAR

Você é hipertenso? Sua circulação pode estar seriamente prejudicada!

Você é hipertenso? Sua circulação pode estar seriamente prejudicada!
Dr. Sthefano Atique Gabriel - Médico e cirurgião vascular

Estima-se que aproximadamente 25% da população brasileira sofra com níveis pressóricos elevados. A hipertensão arterial sistêmica, popularmente conhecida como “pressão alta”, constitui um importante fator de risco para doenças circulatórias, aumentando o risco de derrame, infarto do miocárdio e má circulação.

Ninguém percebe que a sua pressão arterial está se elevando, exceto quando a pressão sistêmica atinge níveis preocupantes, como nos casos de crise hipertensiva, que se caracteriza pela pressão arterial acima de 180 x 100 mmHg. Por seu caráter silencioso, a hipertensão arterial sistêmica representa um inimigo oculto que pode subitamente danificar a parede arterial, resultando em consequências irreversíveis e, até mesmo, incompatíveis com a vida.

A Dissecção de Aorta constitui uma complicação potencialmente fatal associada a hipertensão. A parede das nossas artérias é formada por 3 camadas (íntima, média e adventícia), que suportam altas pressões provenientes do bombeamento sanguíneo cardíaco. Em situações de hipertensão arterial severa, ocorre a ruptura da camada mais interna, a camada íntima, com consequente extravasamento de sangue entre as camadas da parede aórtica.

A progressão da Dissecção de Aorta resulta em infarto do miocárdio, insuficiência renal, oclusão arterial e isquemia circulatória grave. O controle pressórico representa a melhor forma de prevenir o quadro de Dissecção de Aorta, uma vez que a dor torácica associada à lesão arterial não permite, na maior parte das vezes, o diagnóstico clínico precoce.

A rotura de aneurismas cerebrais constitui outra complicação associada aos níveis pressóricos descontrolados. Os aneurismas formam-se em decorrência de processos degenerativos, que resultam no enfraquecimento da parede arterial. Como forma de adaptar-se à pressão sanguínea elevada, ocorre o progressivo aumento do diâmetro arterial. Nos casos de pico hipertensivo, o mecanismo adaptativo não é capaz de suportar a elevação pressórica, ocorrendo a rotura da artéria aneurismática.

A rotura dos aneurismas cerebrais exige intervenção cirúrgica rápida, com drenagem do hematoma cerebral a fim de reverter a sequela neurológica e evitar o dano cerebral isquêmico. De modo semelhante ao quadro de Dissecção Aórtica, a rotura do aneurisma cerebral, geralmente, não é antecedida por sintomas clínicos que permitam o diagnóstico e o tratamento precoces.

O controle dos níveis pressóricos representa uma medida obrigatória caso seja de conhecimento individual a presença de aneurismas cerebrais, mesmo que em diâmetros ainda considerados pequenos. Além do acompanhamento médico periódico, é necessário reduzir o consumo de sal na alimentação, manter a prática de atividades físicas e realizar o Check Up Vascular pelo menos uma vez por ano.

Para maiores informações a respeito da Hipertensão Arterial Sistêmica, das complicações circulatórias associadas aos níveis pressóricos elevados e de demais assuntos de interesse relacionados a Medicina Vascular, acesse o site www.drsthefanovascular.com.br.


Serviço:

Dr. Sthefano Atique Gabriel

Angiologia e Cirurgia Vascular - CRM 130437

Instagram: @drsthefanoatiquegabriel

Facebook: /drsthefanoatique

Contato:  17 3512-1970

Endereço: R. Redentora, 3106 - Vila Redentora - São José do Rio Preto - SP


+ Sintonia

O inverno chegou! Conheça 6 passos para proteger sua circulação em dias frios

Com a chegada do inverno é necessário atenção redobrada ao sistema circulatório, que inevitavelmente sofre com as variações térmicas. A vasoconstrição representa uma maneir...

Leia +

Dor nas pernas em dias frios pode significar complicações circulatórias

As dores nas pernas constituem um dos principais sintomas associados ao sistema circulatório, sendo que a má circulação e a doença venosa representam as p...

Leia +

Existe relação entre Diabetes Mellitus e formigamento nos pés?

O Diabetes Mellitus representa uma doença prevalente em todo o mundo e caracteriza-se por elevados níveis de glicose no sangue. A hiperglicemia crônica acelera ...

Leia +

Malefícios do cigarro para sua circulação

O hábito de fumar representa um importante fator de risco para as doenças cardiovasculares, em especial para os problemas relacionados ao sistema circulatório. Quem f...

Leia +

Varizes: quando devemos trata-las?

Aproximadamente 40% da nossa população sofre com a presença de varizes nos membros inferiores. As varizes são caracterizadas por veias dilatadas, tortuosas, ins...

Leia +